fbpx

Morar em um lugar planejado para viver, com infraestrutura que acolha o dia a dia. Nem sempre é possível adquirir algo dentro destas escolhas, principalmente porque os bairros mais planejados ou cobiçados, detém maior valor em imóveis e taxas. Todavia, investir para render e assim alugar um imóvel no local escolhido é uma das grandes sacadas que ganharam espaço atualmente.

Ainda que a compra e planejamento de um imóvel seja a meta financeira, alugar algo dentro dos padrões exigidos tornou-se algo corriqueiro e muitas vezes uma alternativa entre os jovens chamados millennials (leia a pauta aqui), que mudou o perfil atual do ramo imobiliário. Eduardo Barbosa, diretor financeiro e Marcos Alcauza, diretor de Vendas, ambos da Brognoli falaram um pouco sobre essa realidade e esclareceram algumas dúvidas que acercam quase todos na hora de investir em um imóvel. Confira a entrevista.

Eduardo Barbosa, diretor financeiro da Brognoli

De uma forma geral, as pessoas estão com receio de investir em imóveis por causa da crise que se instalou no Brasil no último ano. Para você, qual o melhor caminho pra investir em imóveis atualmente?

“O melhor caminho para se investir em imóveis, principalmente neste momento de crise, é procurar um profissional ou empresa sólida, de reputação ilibada e com notória competência em sua atividade, que possa fornecer ao investidor as análises corretas, orientando quais são as regiões e tipo de imóvel adequados para um melhor valorização e rentabilidade.

De fato, este é um momento muito adequado para se investir em imóveis, considerando que as taxas de aplicação financeiras estão caindo e que houve uma retração no lançamento e construção de imóveis novos nos últimos três anos que resultará em um desequilíbrio entre oferta e demanda assim que a economia começar a se recuperar. Tal desequilíbrio tende a reativar substancialmente a valorização dos imóveis, devolvendo cumulativamente ao mercado o retorno que não aconteceu em 2015 e 2016.”

Na hora de comprar um imóvel para investir, quais os aspectos mais relevantes que devem ser levados em consideração?

“Primordialmente a localização, observada do ângulo de que potenciais fatos novos ainda acontecerão naquele bairro que possa gerar demanda de novos moradores. São muito importantes também a qualidade da construção, a tipologia do imóvel e um preço adequado, que permita partir de uma boa equação de rentabilidade. Para a correta análise destes quesitos é muito importante a presença de um bom profissional auxiliando na transação e tomada de decisão.”

Quais as taxas que devem ser observadas antes de comprar um imóvel?

“Os custos de aquisição somam ITBI que é municipal (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis) FRJ (taxa do Fundo do Reaparelhamento do Judiciário) Cartório de Notas (lavratura da escritura) e Cartório de registros (Registro da escritura), além de eventuais taxas cobradas pelo SPU (Sistema do Patrimônio da União) quando o imóvel estiver em área de Marinha.”
Uma dica de investimento.

“A dica de investimento para um melhor retorno é pulverizar o investimento em unidades menores que proporcionem um retorno melhor de aluguel, preferencialmente situadas em regiões que tenham alavancadores de demanda como universidades, grandes empresas ou belezas naturais como praias bem conceituadas.”

​Marcos Alcauza, diretor de vendas da Brognoli

​De uma forma geral, as pessoas estão com receio de investir em imóveis por causa da crise que se instalou no Brasil no último ano. Para você, qual o melhor caminho pra investir em imóveis atualmente?

“Enfrentamos um período de recessão que elevou os estoques e derrubou os preços dos imóveis. Consequentemente, temos imóveis precificados a patamares de 2012 que reiniciaram o processo de valorização (os preços monitorados pelo FipeZap tiveram aumento de 0,12 no ultimo mês).

Some-se a isto a sequência de pequenas boas noticias, como o movimento do Copom de redução da taxa de juros, impactando na prestação dos financiamentos imobiliários, a CEF liberando $ 34 bilhões para financiamento imobiliário e o indicador de confiança do consumidor apresentando alta consecutivas.

Este cenário demonstra que podemos ter atingido os valores mínimos de preços dos imóveis e que estamos retomando o crescimento, demonstrando que devemos redirecionar nossos olhares para este segmento, buscando entender as necessidades mais latentes de cada região (1 Dormitório, 2 Dormitórios, comerciais, etc) e aproveitar o momento de preços mínimos para investir, pois, logo teremos a retomada e estes imóveis provavelmente terão sua valoração acentuada.”
Por que alugar? Quais as vantagens em relação a compra?

“Existem varias vantagens de se alugar relativamente a comprar:

a) Os juros pagos atualmente sobre um valor mínimo que teríamos que desembolsar para comprar algo, normalmente cobre o valor do aluguel e ainda sobra para rentabilizar sua aplicação;

b) Podemos morar onde queremos, sem que o valor imobilizado na compra determine e condicione nossas decisões quanto ao futuro;

c) Nos períodos de recessão em que há desvalorização, como o que atravessamos, o risco é todo do proprietário;

d) O Custo de manutenção do imóvel é de responsabilidade do proprietário;

e) Alugar um imóvel sempre é uma boa estratégia para testar o Bairro e o entorno, antes de tomar uma das maiores decisões de investimento de sua vida.”
No quadro atual, houve aumento de imóveis alugados em relação a compras?

“O índice FipeZap mostra retração de 3,1% nos preços de locação deste ano contra um aumento de 0,38% nos preços de venda (a partir de Set/16). Mas, especialistas retratam que a queda no mercado de vendas fez com que vários investidores colocassem seus imóveis para alugar, que somado a outros fatores, ampliaram a oferta em um período de demanda mais estável, ocasionando a redução de preço dos imóveis alugados. Espera-se que o cenário seja revertido, diante das varias boas noticias dos últimos meses.”

Deixe um Comentário